quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Colónia de Férias 2009

Conhecendo a nossa Animadora Sócio-Cultural...


Olá a todos os que me estão a ler. Chamo-me Isabel Pinto de Carvalho Freitas do Amaral, nasci em 1968, em Lisboa ,sou portuguesa ,tenho dois irmãos e uma irmã, já não tenho Pai ainda tenho Mãe que vive em Guimarães, eu vivo cá no centro do nosso país. Tenho frequência universitária do curso de Dança e formação 12º ano e o Curso de Animação Social. Trabalho na AURPIM desde Julho deste ano e o meu trabalho é fazer animação com os associados. Já os acompanhei a algumas excursões, nomeadamente ao Ribatejo a Braga a Peniche á Colónia de férias - Aveiro e ao Guadiana. Qualquer uma delas foram experiências encantadoras. Espero que o meu trabalho seja positivo e que consiga, com a colaboração com a participação de todos fazer coisas giras e interessantes para passar bem o tempo e, deste modo, fazer exercitar o corpo, mentes e vidas dos nossos Idosos e pessoas que, muitas delas, foram esquecidas pelo tempo e respectivamente pelos seus familiares. Dou aulas de ginástica todos os dias de manhã, e tenho programado, Aulas de Dança do Ventre, Teatro e Atelier de Artes, assim como o Jogo do Bingo á 2ª feira. Espero e conto com a participação de todos para que a minha e em especial as vossas vidas passem a ser mais coloridas do que eram até agora... eu farei tudo por isso! Estas actividades serão da parte da tarde na sala polivalente. Serão actividades ministradas sem custos para todos os associados da AURPIM.
Espero por vós! Obrigada, Isabel Amaral.

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Festas de Corroios 2009

Excursão a Peniche

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Excursão ao Minho



A Excursão ao Minho começou dia 5 de Agosto por volta das 07.00H e terminou dia 6 de Agosto por volta das 23h. Foi uma viagem muito agradável e bonita e correu tudo como estava previsto. Éramos 47 pessoas no autocarro. Também o Francisco o nosso motorista levou a sua esposa e a sua filha que também cantaram, viajaram e passearam connosco. Saímos de Miratejo por volta das 07.00H um bocadinho de atraso e fomos apanhando algumas pessoas algumas no Laranjeiro. Passámos a ponte sobre o Tejo com uma vista soberba logo de manhã sobre o Rio Tejo e sobre Lisboa e fomos direitinhos até Aveiras de Cima onde tomamos um café e algumas pessoas o pequeno almoço, altura em que aproveitei para tirar algumas fotografias aos excursionistas. O Sr. Presidente Manuel Cocheno fez um sorteio, que constou de Chocolates, Amêndoa Amarga, Favaios e Whisky por ordem crescente de prémios e ofereceu bolachas e fruta a todos. Findo o sorteio começaram as cantigas e a diversão na nossa viagem, cantando e ouvindo música, tirarando fotografias e a conversar. O Grupo do Laranjeiro foi muito animado tinham violas, pandeiretas e letras de música e foram grande parte da viagem a tocar e a cantar música portuguesa. Como previsto a viagem teve outra paragem desta vez em Antuã, última bomba de serviço antes do Porto para esticar as pernas e descontrair, ficamos parados cerca de 20 minutos e de seguida continuámos a nossa viagem. Eu, também falei ao micro dizendo os locais onde estávamos, e alertando para lugares e paisagens engraçadas que via, sempre com alguma ajuda da D. Sofia Costa, mulher do Sr. Presidente, e do Sr. António Mira, e da D. Luísa. Paisagens muito bonitas típicas do Norte do nosso país, com as vinhas carregadas e uvas quase prontas para as vindimas que se aproximam em Setembro, e muito milho, árvores, eucaliptos e pinheiros. A nossa chegada ao Porto foi muito bem recebida, fomos escoltados pela policia ate á Ribeira de Matosinhos, devido ao autocarro ser de grandes dimensões. Passámos pela ponte de São Luís, marginal do Rio Douro, onde avistamos os Barcos Rebelos. Chovia um pouco mas não havia muito trânsito. Em Matosinhos continuamos pela Marginal, passámos pela estátua Dom João VI e por uma Rede Gigante representativa à zona pescatória, parámos para almoçar em Matosinhos e comemos muito bem. O almoço foi muito agradável e as pessoas foram bastante atenciosas. Ficamos 2 horas e 30 minutos para almoçar e encontrámo-nos no lugar combinado com o Francisco (motorista). Com tudo em ordem para continuar a viagem lá fomos nós para Guimarães, "cidade onde nasceu Portugal", e fomos até ao Castelo de Guimarães... cortámos caminho pelo meio da cidade e passámos por ruas e monumentos muito bonitos... as casas muito bem restauradas e tudo muito limpo. Não chegámos a ir á nossa Senhora da Penha, ficou combinado ir na próxima viagem.
Depois de tudo recolhido seguimos para o Sameiro e Bom Jesus. Como era dia de semana notava-se na Senhora do Sameiro que o comércio estava muito reduzido e muito pouca gente, o que por um lado facilitou a nossa curiosidade. Quando descemos para o bom Jesus deparámo-nos com uma estrada muito apertada que nos impediu de a atravessar optando por ver a vista cá de cima e visitar uma casa turismo muito linda com um jardim espectacular e um lago que parecia uma gruta com vista sobre Braga que aliciava qualquer um. Descansámos no Bom Jesus cerca de meia hora, tirámos fotografias, conversámos e depois lá seguimos viagem para Braga em direcção à residencial Satélite que nos recebeu muito bem, arranjando logo de imediato os quartos para os clientes pernoitarem e também o nosso jantar.
O jantar foi animado... houve cantoria até ás duas da manhã! Quem não se juntou ao grupo dos cantores foi descansar. O cansaço da longa viagem já se sentia e o descanso era necessário.
A alvorada foi por volta das 7h da manhã, o pequeno almoço ás 7h30m e a saída ás 8h. O nosso pequeno almoço foi espectacular, com muita variedade de comida, self-service e tudo à discrição. Seguimos a viagem para Ponte de Lima, todos um bocado ensonados mas com muito boa disposição, satisfação e alegria. Ponte de Lima é uma cidade muito bonita e vistosa assim como tranquila, saboreamos o que esta cidade teve para oferecer e como turistas que estávamos a ser, cumprimos a obrigação de tirar fotos e observar, pois assim como a Ponte do Lima haviam jardins muito bem arranjadinhos que dava gosto ver. Só lá ficamos 3 quartos de hora com muita pena de alguns pois a vontade era ficar lá toda a amanhã. E então seguimos para Valência do Minho, eu pessoalmente adorei, pois tudo o que é cercado de muralhas me fascina. Uma povoação muito pequenina cheia de comercio e restaurantes perdida quase ao pé de Vigo. Os turistas espanhóis lá estavam para comprar, como é tradição de sempre, as nossas toalhas e colchas. Ficamos por lá cerca de uma hora, seguindo depois viagem para Viana do Castelo. Chegada a Viana do Castelo fomos logo almoçar, o que por um lado foi bom, mas por outro foi massacrante, pois estivemos muito tempo à espera que nos servissem o que nos pôs impacientes e já com alguma fome. Depois do almoço fomos visitar a cidade que tem também muito comércio, muita gente e é muito agradável de se ver. Não ficámos muito mais tempo em Viana pois já estávamos a ficar apertados no tempo para seguir viagem porque ainda tínhamos que visitar Santa Luzia. Santa Luzia via-se de uma das avenidas de Viana olhando para cima e avistava-se a Igreja. Subimos até lá e como era de esperar a vista foi soberba... mesmo muito bela!... e pronto, estava na hora de seguir viagem para Miratejo. A viagem de regresso também correu muito bem. À chegada ao Porto e a Lisboa havia mais trânsito mas o restante caminho correu tranquilamente. Fizemos paragem na Mealhada, para petiscar à hora de jantar como previsto. As pessoas estavam já um pouco cansadas, mas não deixaram de cantarolar, conversar e sorrir de regresso a Lisboa, cidade que nos acolheu por volta das 10h30 minutos e Miratejo ás 11h. Muito obrigada a todos pela companhia, convívio e pela amizade.
Brevemente continuaremos a viajar pelo nosso Portugal, conhecendo novas terras e novos povos.
Muito obrigada a AURPIM e ao Sr. Presidente Manuel Cocheno, bem hajam.

Textos: Isabel Amaral

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Homenagens à Terceira Idade







Linha do Idoso


A Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas decidiu proclamar o ano de 1999 como o Ano Internacional das Pessoas Idosas, sob o lema: "Por uma Sociedade para todas as Idades", sociedade que se quer baseada no respeito pelos direitos humanos, pelas liberdades fundamentais, pela justiça social e pela participação cívica, designadamente chamando a atenção para um grupo de particular risco - a população idosa.
O Provedor de Justiça neste contexto decidiu criar uma linha telefónica gratuita de apoio aos cidadãos idosos.

A Linha do Cidadão Idoso pretende divulgar junto das pessoas idosas informação sobre os seus direitos e benefícios na área da saúde, segurança social, habitação, obrigações familiares, acção social, equipamentos e serviços, lazer, entre outras, de forma a contribuir para uma participação mais activa dos idosos na vida da sociedade, habilitando-os para um melhor exercício dos seus direitos. Propõe-se igualmente garantir um atendimento personalizado e contribuir para a acessibilidade da informação.
A Linha do Cidadão Idoso 800 20 35 31 funciona todos os dias úteis entre as 9h00 e as 17h00, existindo um gravador de chamadas fora deste horário. A chamada é inteiramente gratuita.

A questão colocada será tratada directamente pela Linha do Cidadão Idoso ou, caso tal não seja possível, será encaminhada para as entidades competentes ou para os serviços da Provedoria de Justiça, desde que esteja dentro do seu âmbito de actuação.
A Linha do Cidadão Idoso iniciou o atendimento público em 15 de Julho de 1999.

Para que Serve?
Serve para informar e divulgar, junto dos cidadãos que atingiram a maturidade das suas vidas, um grande conjunto de direitos e de benefícios, em áreas tão importantes como, por exemplo:
• Saúde
• Segurança Social
• Habitação
• Equipamentos e Serviços
• Tempos Livres

A Linha do Cidadão Idoso não é uma linha de emergência e não dá consulta jurídica.

Como Funciona?
Do outro lado do telefone encontrará, entre as 9h00 e as 17h00 de cada dia útil, uma voz interessada e atenta que tudo fará para o(a) ouvir, aconselhar e informar e, se necessário, para lhe dar os endereços e os números de telefone que poderá contactar. Se possível, a própria Linha resolverá directamente o seu assunto ou encaminhará a sua reclamação para os serviços da Provedoria.

Fora desta hora poderá sempre deixar a sua mensagem. Será sempre contactado.

Porquê uma Linha do Cidadão Idoso?
Porque as pessoas têm direito a:
• Segurança Económica
• Condições de Habitação
• Convívio familiar e comunitário


Respeito pela sua autonomia pessoal (cf. CRP art.º 72).

Os "nossos" Séniores


Quando cada vez mais se questiona o papel do cidadão Sénior ou Idoso na sociedade, principalmente num país como Portugal onde a pirâmide etária tem vindo progressivamente inverter-se, importa desde logo enquadrar a situação.
Em Portugal, são considerados Séniores ou Idosos todos aqueles maiores de 65 anos de idade. Contrariamente à ideia de muitos, o idoso não é velho, mas sim uma pessoa vivida, com muita sabedoria acumulada ao longo da vida para lidar com os problemas do dia-a-dia.

A presença dos nossos Séniores e seu dinamismo estão sempre presentes e reflecte-se nas instituições e nas actividades em que participam.
Falar de uma verdadeira 3ª Idade é procurar dia após dia as melhores formas de inclusão social desta população.
Não podemos esquecer que um dia o idoso somos nós! Foi neste contexto criada a linha do Idoso.
A 3ª Idade deve ser uma etapa da vida tão importante, digna e bonita como as anteriores.

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Excursão ao Ribatejo


A AURPIM foi passear dia 25 de Julho de 2009 fazendo uma excursão pelo Ribatejo. A viagem decorreu com 50 associados, utentes, a nossa animadora cultural e o presidente da instituição.
O itenerário que estava planeado era o seguinte:
- Miratejo, passagem por Alcochete, paragem no Porto Alto para tomarmos o pequeno almoço, retomando depois a viagem passando por Samora Correira, Benavente e paragem em Salvaterra para visitar. No decorrer deste trajecto deu para apreciar as plantações de tomate, melão, aboboras e milho que crescem nas nossas lezirias terras ribatejanas. Tudo muito verde e furtivo parecem retalhos de tecido que servem para uma manta, verde castanha e amarela.
Em Salvaterra, passeamos e descobrimos uma praça com boas instalações nova, e que tinha coisas muito boas para se comer por exemplo, melancia, o pessego e vários legumes que faziam a tentação dos fregueses. Foi pena a praça de toiros estar fechada só vimos da parte de fora. Estivemos de visita o tempo previsto, e depois continuamos a nossa viagem e desta vez para Almeirim, que nos recebeu, passeamos um pouco por Santarem descansamos num jardim á sombra fazendo horas para a sopa de pedra.
Almoçámos num restaurante muito agradável e com muita gente, pois fomos os primeiros a chegar pensando que não havia muita gente para comer e, não passava nem meia hora, estava cheio de excursionistas como nós para a sopa e carne gorda, que tinha para a refeição.
Dentro dos preços que estamos habituados a pagar não foi muito caro e comemos muito bem. Dentro da hora prevista retomamos o nosso caminho até Santarem, terra que nos recebeu muito bem. Fomos ver as vistas das Lezirias do Tejo através de um Miradouro. Aqui, neste jardim, quando estavamos já de saída a Sr.ª Maria da Piedade, uma utente da associação, tropeçou num degrau e partiu um braço, o direito exactamente, a cabeça do humero ficou partida logo naquele instante. A animadora cultural e o Sr. Manuel Cocheno, presidente desta associação, foram logo aos bombeiros e de seguida fomos levados ao hospital através da Cruz Vermelha Portuguesa, onde a doente foi bem tratada e o resto dos viajantes ficaram no jardim de Santarem, uns a descansar e outros a verem a cidade. Só saimos do hospital passado duas horas, o incidente aconteceu por volta das 16.30h eram 19.00h estavamos a sair... não tivemos oportunidade de ir ao Cartaxo e viemos para Miratejo. Faço votos de uma boa recuperação e que a doentinha esteja melhor!
A viagem de regresso a Miratejo decorreu dentro da normalidade. O Sr. Luis Gonçalves, nosso motorista conduziu muito bem, bem haja por isso.

Textos: Isabel Freitas do Amaral

quinta-feira, 30 de julho de 2009

AURPIM celebrou Bodas de Prata



A rondar os 1500 sócios, com média de 150 refeições diárias, sede e domicílios, com mais de 20 colaboradoras, um Grupo Coral e Instrumental, ginática de manutenção, hidroginástica, biblioteca, serviços sociais e recentemente com uma animadora cultural que, além de inúmeras actividades vai benificiar a Instituição e consequentemente os nossos idosos com aulas de dança.
Com o Sr. Manuel Calheiras Cocheno como Presidente e a restante equipe Directiva, a AURPIM chegou este 19 de Julho de 2009 ao seu 25.º Aniversário.
A Direcção resolveu comemorar as Bodas de Prata, realizando uma festa de arromba que durou Sábado e Domigo, para os seus associados e colaboradores habituais.
Os dias foram igualmente presenteados com a distribuição dos Prémios do 1.ª Concurso de Poesia Popular, organizado por esta Instituição em homenagem a S. Pedro, santo padroeiro do concelho do Seixal. O concursop baseou-se em 2 temas: Quadras Populares e Décima sujeita ao mote:

S. Pedro faz-me a vontade
Já que controlas o céu
Não olhes à minha idade
Leva outro e não eu


Foram recebidos muitos trabalhos, sendo que nas Décimas surgiram trabalhos com muita imaginação. O vencedor foi Henrique Pereira, com o pseudónimo "Arrepiado" que também arrebatou o 2.º lugar em quadras, com o pseudónimo de "Santinho". O 1.º lugar foi para a Sr.ª D.ª Fernanda Duarte, com pseudónimo "Princesa" e com a quadra:

Miratejo em desvario
Com S. Pedro a seu lado
Canta o fado ao desafio
E leva a noite acordado


O Juri foi constituído por: Eduardo Rosa, presidente da Junta da Freguesia de Corroios, Carlos Carvalho, D. Wilma da Câmara Municipal do Seixal e Isabel Gomes, associada da AURPIM.
Antes da distribuição de prémios actuou a internacional Tuna Feminina da Faculdade de Ciências e Tecnologias da Universidade Nova de Lisboa - Monte da Caparica.
Depois da distribuição dos prémios, apresentou-se o Nordeste Transmontano "Os Unidos" que faz parte do Grupo Etnográfico da Casa do Povo de Sonim. Tocaram e cantaram cantigas de desafio, desgarradas e bem apimentadinhas.
A vocalista Prazeres Guedes puxou pelo público, esbanjou alegria e boa disposição.
Foram uns dias de magífica disposição e tardes musicais, que a Direcção da AURPIM, com a colaboração de todas as funcionárias e voluntários, ofereceram aos utentes e associados na espaçosa e nova esplanada, onde a brisa se fazia sentir bem na assistência.
Dia 19 de Julho de 2009 foi o grande dia, com Sessão Solene, com a presença do Presidente da Câmara Municipal do Seixal, os Presidentes das Juntas de Freguesias de Corroios e Laranjeiro, entre outros, a Segurança Social de Setúbal foi convidada mas não se fez representar. Também Eufrásio Filipe, que iria ser distinguido com a categoria de sócio de mérito, não se fez representar.
Para animar mais a festa, teve ainda lugar a actuação de dois grupos Corais, um de Cavaquinhos e ainda o grupo Coral da AURPIM "Cantar é Viver", bem como a entrega de diplomas aos sócios fundadores.

Fazemos bodas de Prata
Vamos por aí adiante
Para bem da Comunidade
Faremos as de Diamante


Seguidamente publicamos um video que iremos ir completando com o tempo com imagens desta festa que ficará para a história da nossa querida Instituição.
Um muito obrigada a todos os que colaboram diariamente com a nossa Instituição para que seja possível dar aos que necessitam de nós todo o apoio e carinho que nos é humanamente possível! Bem-hajam!

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Dia de Bingo na AURPIM



Jogar ao bingo é muito simples, é mais fácil ainda são as regras do bingo. Em cada jogo do Bingo há um anunciador ou tela onde vão aparecendo os números das esferas que vão saindo sorteadas e também o modelo ou padrão do jogo.
Outra das regras para ganhar ao bingo é prestar atenção ao modelo de jogo. Um modelo de jogo é a figura que há que completar para ganhar.

Os modelos mais simples estão constituídos por linhas retas (horizontal, vertical ou diagonal). O “Coverall” é o Bingo tradicional e neste jogo deve-se cobrir o cartão completo para ganhar.
Os números sorteados vão-se “cantando” rapidamente. Geralmente não passa mais de 10 segundos entre uma bola e outra, o que obriga ao jogador a estar sempre atento para formar suas figuras. Tem que prestar muita atenção para poder marcar os números rapidamente e com boa precisão nas cartelas escolhidas.

O jogo acaba quando um o mais jogadores cantam “BINGO” ao completar a cartela ou alguma das figuras mencionadas anteriormente. O jogo do bingo detém-se imediatamente e, verificam-se os números e as figuras da cartela ganhadora. Se todas as regras foram cumpridas, outorga-se o prêmio.
Uma das regras de honor do Bingo, é que em caso de que haja mais de um ganhador se divide o prêmio em partes iguais entre todos os ganhadores.

Na Aurpim os prémios foram simbólicos... distribuiram-se pelos ganhadores doçarias e produtos de higiene e beleza! Ah pois é... os idosos também se cuidam e se divertem!!!

Até à próxima partida!

sexta-feira, 26 de junho de 2009

O nosso S. João 2009

Na tarde do dia 24 de Junho comemorou-se o S. João mais uma vez na AURPIM com música, sardinhas, entremeadas, bifanas, bebidas e essencialmente muito boa disposição!... aproveitando que está aí o Verão as festas começaram a ser feitas ao ar livre. O video que se segue conta-nos melhor o que se passou neste dia:



Algumas fontes apontam a origem no nome Festas Juninas, por serem comemoradas no mes de Junho, e outras fontes relacionam o nome ‘Festas Juninas’ por ser o mes de comemoração do dia de São João. Suas tradições são oriundas de diversos países, para a comemoração aos santos:

Santo Antonio | Dia 13 de Junho
Na noite que antecede ao Dia de Santo Antonio, é costume as moças solteiras fazerem simpatias para encontrar um grande amor e se casarem, já que Santo António é o santo casamenteiro. É também costume levar pães para serem abençoados nas missas em honra ao Santo, para que nunca falta alimentos nas casas. Na noite que antecede ao Dia de Santo Antonio, é costume as moças solteiras fazerem simpatias para encontrar um grande amor e se casarem, já que Santo António é o santo casamenteiro. É também costume levar pães para serem abençoados nas missas em honra ao Santo, para que nunca falta alimentos nas casas.

São João | Dia 24 de Junho
Diz a tradição que as cinzas de uma fogueira de São João curam problemas de pele, também dizem que se as raparigas cortarem as pontas dos cabelos antes de nascer o sol, os cabelos crescem mais fortes. São crendices populares que foram passadas de geração em geração.

S. Pedro | Dia 29 de Junho
As tradições e crendices populares indicam São Pedro como guardião do ‘Céu’, reza a tradição de quem quiser vender uma casa, reza à são Pedro e leva a uma igreja uma chave de cera com 3 fitinhas amarradas (rosa,azul, e branca). Diz também que á protector das viuvas e o santo da fartura por ter sido pescador.

As homenagens aos santos foram introduzidas no Brasil pelos colonizadores portugueses. A França contribuiu com a dança, a China com os fogos de artificios, a Espanha e Portugal com a culinária. Evidentemente que todas as tradições introduzidas pelos europeus com o tempo foram se adequando aos moldes brasileiros, originando uma festa junina tipicamente brasileira. Em todo Brasil é possível no mes de Junho encontrar festas juninas, entretanto em cada região a festa possui uma caracteristica diferente.

Os pratos tipicos das festas juninas são: pipoca, tapioca, arroz doce, bolo de amendoin, bolo de pinhão, bombocado, bolo de fubá, pé-de-moleque, batata doce, pão-de-ló, vinho quente, canjica, bolo de milho, milho verde, pamonha, cural, quentão.

As músicas tipicas das Festas Juninas:
- Cai Cai Balão
- Capelinha de Melão
- Pula Fogueira
- Sonho de Papel
- Pedro, Antonio e João

terça-feira, 23 de junho de 2009

Festa de Verão na AURPIM



Hoje, dia 21 de Junho de 2009 a AURPIM organizou a "Festa do Verão" para os seus associados festejarem a entrada nesta bonita estação!
Enfeitou-se o nosso espaço exterior com esta temática e associados e familiares tiveram uma tarde encantadora disfrutando de um baile onde todos puderam conviver, brincar, dançar e cantar. O video de fotos demostra isso mesmo.

Daqui a dois dias celebraremos o S. João... até lá, toca a descansar porque a festa vai ser de arromba!

sábado, 20 de junho de 2009

A memória na Terceira Idade


"... mas esquecer faz parte do funcionamento psíquico humano, esquecer é uma função adaptativa, muitas vezes é fundamental para nossas vidas"

Sabemos que as falhas subjetivas de memória são frequentes com o processo de envelhecimento e não é incomum ver as pessoas se queixarem de esquecimentos no cotidiano. E podem ocorrer por diferentes motivos.
O surgimento de mudanças no desempenho de memória na velhice pode ser isolado ou associado com outras causas. Mecanismos biológicos e psicológicos interferem no processamento da informação pela memória.

CAUSAS DAS FALHAS DE MEMÓRIA

Fatores ambientais:
Desorganização do ambiente, e muitas informações para serem armazenadas de assuntos diferentes, como as compras do supermercado, a festa das crianças, as reuniões da semana e o conteúdo informativo do concurso. Além disso, é comuns idosos apresentarem recursos de processamentos reduzidos, o que leva ao declínio de memória e a piores desempenhos em testes.

Acidentes e lesões cerebrais:
Como podemos acompanhar na mídia com personalidades de destaque como artistas, mas hoje também sabemos que graças a plasticidades cerebral podemos estimular regiões cerebrais capazes de realizar a função da área cerebral lesionada.

Excesso de bebida alcoólica e tabagismo:
Afetam o SNC (sistema nervoso central).

Uso de medicamentos:
Os que mais frequentemente afetam o sistema de memória são os ansiolíticos, hipnóticos de longa ação, antipsicóticos, antiparkinsonianos, antidepressivos e mais raramente os hipertensivos.

Doenças degenerativas:
Por muito tempo o senso comum dizia que qualquer pessoa que esquecesse coisas, principalmente na velhice ou meia-idade, estava com perda de memória, isso quando se exclui a possibilidade de demência, que deverá ser investigada com cautela. Mas existem as demências tratáveis e as demências não tratáveis como no caso da doença de Alzheimer e demência vascular (por multi-infarto), e mesmo essas podem ter sua evolução retardada (ainda não curadas) com medicamentos e reabilitação cognitiva entre outros trabalhos terapêuticos. Estudos demonstram que pessoas que exercitam sua memória ao longo da vida apresentam menores prejuízos para desenvolver demência.

A amnésia:
Nos quadros patológicos encontramos alterações que ocorrem geralmente por lesões, e a palavra amnésia só se utiliza em casos patológicos. Dependendo do caso em questão, os sistemas de memória afetados podem tanto ser de curto prazo ou de longo prazo, e o quadro clínico poder ser definido como amnésia do tipo anterógrada e /ou retrógrada. Na amnésia retrógrada a memória para eventos anteriores ao início na amnésia pode ser afetada. A amnésia anterógrada ocorre após a lesão e acontece o impedimento de aquisição e armazenagem e/ou evocação de novas informações.

Falhas de memória: prevenção

• Procure ter uma alimentação saudável.

• Pratique atividade física regularmente. Escolha uma que goste e peça orientação ao seu médico.

• Pratique atividades que exercitem a mente.

• Aumente suas redes de relações sociais para aumentar sua competência linguística.

• Tenha um bom sono regularmente.

• Tenha um método organizado de administrar seu tempo.

• Acredite na sua capacidade e habilidades.

• Em casos de alterações importantes de humor, como quadros depressivos ou ansiosos, procure profissional especializado da área de psiquiatria e/ou psicologia.

• Utilize estratégias de treinamento de memória, que auxiliam na melhoria de seu desempenho.

Atualmente as pessoas são bastante exigentes quanto à quantidade de informações que desejam memorizar. A memória é seletiva e é impossível armazenar todas as informações que entramos em contato ao longo de nosso dia. Entender o funcionamento da memória, cuidar através da realização de atividades para aprimorar a memória e adquirindo bons hábitos de vida são importantes para a preservação e melhoria do desempenho da memória, bem como ficar atentos às falhas e procurar profissional para avaliação quando os esquecimentos prejudicam o seu cotidiano, mas esquecer faz parte do funcionamento psíquico humano, esquecer é uma função adaptativa, muitas vezes é fundamental para nossas vidas!

ELOGIO AO ESQUECIMENTO

Bom é o esquecimento! Senão como se afastaria o filho da mãe que o amamentou?
Que lhe deu a força dos membros... E o impede de experimentá-la.
Ou como deixaria o aluno o professor que lhe deu o saber? Quando o saber está dado. O aluno tem que se pôr a caminho....

Como se levantaria pela manhã o homem sem o deslembrar da noite que desfaz o rastro?
Como se ergueria pela sétima vez aquele derrubado seis vezes para lavar o chão pedregoso, voar o céu perigoso?
A fraqueza da memória da força ao homem...

Bertold Brecht

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Campeonato de Dominó e Sueca na AURPIM



No dia 12 de Junho de 2009, na AURPIM, realizou-se um Torneio de Dominó e Sueca durante todo o dia.
Para que nos próximos anos a adesão seja maior a AURPIM resolveu publicar neste nosso espaço as regras e um pouco da história destes jogos.

O Dominó surgiu na China e sua criação é atribuída a um santo soldado chinês chamado Hung Ming, que viveu de 243 a.C a 182 a.C.
O nome provavelmente deriva da expressão latina "domino gratias" ("graças a Deus"), dita pelos padres europeus para assinalar a vitória em uma partida.
O jogo é composto de 28 peças (pedras) chatas, retangulares, de madeira, osso, marfim ou matéria plástica, com pontos marcados de zero (vazio) a seis, formando várias combinações.

Regras

A forma mais comum de jogar o dominó é entre duplas (4 jogadores 2x2), onde cada jogador recebe 7 peças, ou jogar-se em 2 jogadores com 7 pedras cada um e 14 pedras para comprar no caso do oponente não ter a pedra da vez.

O primeiro a jogar pode ser por duas regras:
O que tem a pedra 6x6 (barata, carreta, carrilhão) sempre começa a partida, ou
Quem sortear a peça mais alta antes de iniciar a primeira partida iniciará, as demais partidas iniciam no sentido anti-horário a partir deste jogador.
O objetivo é baixar todas as peças primeiro, ou fechar o jogo (menos habitual). Jogar para o "fecha" não é modalidade comum nas mais nobres mesas de jogos, sendo permitido somente o "fecha" natural.

Quem baixar todas as peças ganha os pontos da soma de todas as peças que sobrarem na mão do adversário.
O jogo fica fechado quando não é mais possível baixar peças, geralmente quando as duas pontas do jogo têm o mesmo número e não existem mais peças com este número na mão dos jogadores.
Quando o jogo fica fechado, quem tiver menos pontos em peças na mão ganha e leva a pontuação em peças na mão do adversário, no caso de jogo por pontos.

Geralmente uma disputa de dominó é feita em várias partidas consecutivas, onde a dupla que acumular 100 pontos primeiro é a vencedora.
Quando um jogador faz jogadas inócuas, impensadas ou tolas, causando claro prejuízo ao parceiro é denominado "Principe", forma amiga de cognominá-lo de Principiante, podendo este chegar ao título de "Rei" se permanecer jogando da forma não esperada, forma amiga de retardado. Essa nomenclatura foi proferida pelo filósofo italiano Gaviones In Fretadus, no áureo século XIV, relatado em suas memórias.


A Sueca é um jogo para quatro jogadores em duplas, i.e. dois contra dois, com os parceiros sentados opostamente.

Cartas
O baralho tem somente 40 cartas, são removidos 8s, 9s e 10s do baralho padrão.
A ordem das cartas em cada naipe, de cima para baixo, é:

ás, 7, rei, valete, rainha, 6, 5, 4, 3, 2

Na Sueca, o objectivo é ganhar cartas que valem pontos de forma a atingir mais de 60 pontos.
No total há 120 pontos, somados, no baralho.
O valor das cartas é:
Às
7
rei
valete
rainha
6, 5, 4, 3, 2

11 pontos
10 pontos
4 pontos
3 pontos
2 pontos
0 pontos

O Começo
Joga-se no sentido anti-horário.
A 1ª pessoa que baralha é escolhida aleatoriamente.
A pessoa que baralhou passa, então, as cartas para o parceiro para que este corte o baralho.
Este passa as cartas à sua direita, que será a pessoa que distribuirá as cartas.
O distribuidor escolhe o trunfe ( é o naipe da carta virada ), de uma das duas formas:
Se tirar a última carta do baralho e revelar o trunfo Depois disso, ele dá 10 cartas de uma vez ao jogador à sua esquerda, e continua distribuindo no sentido anti-horário.
Porém, o distribuidor escolher virar a primeira carta do baralho. Assim ele tira nove cartas para ele (1+9=10), e distribui no sentido horário 10 cartas a cada jogador.

O Jogo
O jogador que está à direita de quem deu as cartas começa a jogar. Os outros jogadores devem seguir o naipe (assistir ao Naipe) jogado pelo primeiro jogador. O jogador que não tiver cartas para assistir ao naipe puxado pode jogar cartas de qualquer outro naipe, incluindo o trunfo. Ganha a rodada o trunfo mais alto ou se não houver trunfes na mesa , a carta mais alta do Naipe do 1º jogador que jogou.. O jogador que ganhou puxa o próximo naipe.
Se algum jogador mentir sobre a ausência de algum naipe na sua mão, e for pego, ele estará "renunciando" ao jogo. Então a dupla oponente ganha 4 jogos automaticamente.
Nenhum sinal é permitido entre os parceiros, audível, pelo menos, mas toda a gente faz pequenos sinais com as cartas, o que não é permitido .

Pontuação
O objectivo do jogo é ganhar mais cartas que tenham pontos.
O time/equipa que tiver ao fim da partida mais de 60 dos pontos totais, ganha 1 ponto.
Se um time/equipa consegue mais de 90 pontos, ganhará 2 pontos.
E se um time/equipa ganha todas as rodadas da partida, esse time/equipa ganhará 4 pontos.
"Havendo um empate, i.e., os dois times/equipas fizerem 60 pontos, ninguém marca pontos, porém a próxima partida vale dois pontos, isto é válido somente se essa partida for para 1 ponto. Ou seja, se nesta nova partida a equipa fizer mais de 90 pontos não vai ganhar 4 pontos e o mesmo para o caso de se fizer 120 pontos não vai ganhar 8 pontos."
Em Portugal, normalmente, esta regra não é válida, ou seja, havendo um empate os dois times/equipas não recebem qualquer ponto e a próxima partida vale os pontos normais, os pontos não são acumulados. É esta a regra válida em "Sueca - O Jogo".

sexta-feira, 5 de junho de 2009

São pequenos gestos que fazem grandes Heróis



Mais um ano a AURPIM através de voluntários da nossa instituição (direcção, funcionárias e associados) participou nas campanhas do Banco Alimentar contra a Fome que que realizou nos dias 30 e 31 de Maio de 2009.

A dedicação, generosidade, empenho e profissionalismo de todos os HERÓIS que participaram na Campanha do Banco Alimentar, permitiu recolher 1.935 toneladas de alimentos. Graças aos pequenos gestos que fazem todos os dias, serão ajudadas mais de 250 mil pessoas carenciadas.

Bem-hajam a todos!

quinta-feira, 28 de maio de 2009

I Concurso de Poesia Popular - Inscrições Abertas



A Associação Unitária de Reformados, Pensionistas e Idosos de Miratejo, vai promover o “I Concurso de Poesia Popular” com a finalidade de animar as festas populares em homenagem a S. Pedro que se realizam no Concelho do Seixal.

Regulamento
Para este Concurso são admitidos dois temas:

1. Quadras populares fazendo referência a estes festejos e nas quais terão obrigatoriamente de ser incluídas as palavras “Miratejo” e “S. Pedro”.
2. Décima sujeita ao mote:

S. Pedro faz-me a vontade
Já que controlas o Céu
Não olhes à minha idade
Leva outro e não eu.

Os interessados em participar neste concurso (associados ou não) podem concorrer com um máximo de 3 em cada tema e entregar nos locais abaixo indicados dentro de um envelope onde por fora mencione o seguinte:
“Concurso de Poesia Popular 2009”
As quadras em número máximo de 3 por cada participante serão apresentadas na mesma folha A4 e em triplicado, dactilografadas ou manuscritas em letra legível, usando para este tema um único pseudónimo;
Para o tema “Décima” o concorrente deve também usar folha A4 em triplicado para um número máximo de 3, mas separadas e com pseudónimos individuais e diferentes;
O concorrente deverá assinar os temas unicamente com o pseudónimo que pretender usar, dando a sua verdadeira identidade dentro de um outro envelope fechado onde terá que indicar também a sua morada e nº telefone ou telemóvel. Nesse envelope colocará no exterior apenas o seu pseudónimo.

Prémios
Serão atribuídos três prémios aos melhores classificados de cada tema.

Júri
Os temas do concurso serão avaliados por um júri composto por três elementos;
O júri valoriza os temas não só pela sua qualidade, mas também pela temática do concurso.

Entrega dos Temas
A entrega dos temas pode ser feita até 15 de Junho de 2009 na A.U.R.P.I.M., Avenida Luís de Camões, nº12-A, Miratejo, 2855 – 121 Corroios.

Outras Disposições
Todos os trabalhos apresentados ficarão na posse da A.U.R.P.I.M., que se assim o entender, poderá publicá-los ou apresentá-los, cujos autores, a partir do momento em que concorrem, autorizam a sua publicação.
A resolução de eventuais casos omissos neste regulamento será da responsabilidade do júri ou sujeito à aplicação da legislação portuguesa em vigor.

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Dia da Espiga



O Dia da Espiga ou Quinta-feira da espiga é celebrado no dia da Quinta-feira da Ascensão com um passeio matinal, em que se colhe espigas de vários cereais, flores campestres e raminhos de oliveira para formar um ramo, a que se chama de Espiga. Segundo a tradição o ramo deve ser colocado por detrás da porta de entrada, e só deve ser substituído por um novo no dia da espiga do ano seguinte. As várias plantas que compõem a espiga têm um valor simbólico profano e um valor religioso. Crê-se que esta celebração tenha origem nas antigas tradições pagãs e esteja ligada à tradição dos Maios e das Maias.

O dia da espiga era também o "dia da hora" e considerado "o dia mais santo do ano", um dia em que não se devia trabalhar. Era chamado o dia da hora porque havia uma hora, o meio-dia, em que em que tudo parava, "as águas dos ribeiros não correm, o leite não coalha, o pão não leveda e as folhas se cruzam". Era nessa hora que se colhiam as plantas para fazer o ramo da espiga e também se colhiam as ervas medicinais. Em dias de trovoadas queimava-se um pouco da espiga no fogo da lareira para afastar os raios.

A simbologia por detrás das plantas que formam o ramo de espiga: Espiga – pão; Malmequer – ouro e prata; Papoila – amor e vida; Oliveira – azeite e paz; Videira – vinho e alegria e Alecrim – saúde e força.

Uma tarde na Discoteca "Ritmo da Salsa"

Caminhada em parceria com a AURPIM e a Farmácia Sousa Marques



As caminhadas é uma actividade que as pessoas aderem, mas, em número que nós consideramos não ser o suficiente para uma população que necessita de realizar actividade física. Realizamoa também o controle do peso, tensão arterial e percentagem de gordura no sangue.
Andar é natural, mas andar em grupo e de forma orientada é muito melhor e mais divertido.

Dia 20 de Maio a AURPIM em parceria com a Farmácia Sousa Marques organizou mais uma caminhada como actividade de prazer e bem-estar dos nossos utentes e associados!
O encontro para a partida foi feito à porta da Farmácia Sousa Marques (Miratejo), tendo como itenerário o Parque Zeca Afonso e a volta ao ponto de partida, junto à associação!

Foram acompanhados pela Dra. Cátia Sousa Marques e também pela nossa professora de ginástica, Anabela Monteiro e a nossa Animadora Cultural, Carla Dias, que estão, obviamente, habilitadas a dar-lhe orientações susceptíveis de melhorar o seu estado de saúde e bem-estar! Foram distribuídos uns saquinhos com água, fruta, protector solar e alguns folhetos sobre cuidados e prevenção da saúde.

Os participantes nesta actividade fazem com regularidade a medição do seu peso e da tensão arterial, diabetes, colesterol, etc..
Sempre que nos é possível realizamos um passeio possibilitando assim mais actividade física e convívio.

Venha andar andar connosco!...

terça-feira, 19 de maio de 2009

AURPIM sai à Rua